Bolsas da Europa fecham sem sinal único, de olho em Brexit e EUA-China


As bolsas europeias fecharam sem sinal único, mas na maioria em alta nesta quarta-feira (6). Investidores aguardaram novidades no diálogo comercial entre Estados Unidos e China e também do processo de saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,10%, em 375,27 pontos.

Os mercados continuam observando de perto o avanço no diálogo entre os Estados Unidos e a China. Na segunda-feira, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, afirmou que Washington e Pequim estavam « prestes » a chegar a um acordo para encerrar a disputa comercial iniciada em meados do ano passado. Já na terça-feira, Pompeo disse que o presidente americano, Donald Trump, irá rejeitar qualquer acordo que não seja perfeito, embora tenha ressaltado a disposição da Casa Branca de continuar trabalhando para chegar a um entendimento com os chineses.

Quanto ao Brexit, a possibilidade de a primeira-ministra britânica, Theresa May, não conseguir obter concessões suficientes da União Europeia para que o Parlamento britânico aprove um acordo sobre a saída do Reino Unido da UE continua no radar dos investidores. A próxima votação sobre o Brexit no Parlamento está prevista para o início da semana que vem. Caso May não consiga aprovação da estratégia de divórcio, a primeira-ministra apresentará propostas para uma saída sem acordo ou para o adiamento da data para ruptura com o bloco, marcada para o dia 29 deste mês.

Na bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,17%, em 7.196,00 pontos. O bom desempenho das mineradoras ajudou a praça local, com altas de Antofagasta, BHP, Anglo American e Rio Tinto, na esteira de anúncios de que a China adotará mais medidas de estímulo. Por outro lado, no setor de luxo o Burberry Group recuou 4%, após a ação ser rebaixada pelo Goldman Sachs.

Em Frankfurt, o índice DAX recuou 0,28%, a 11.587,63 pontos. Entre os papéis mais negociados, Aroundtown subiu 0,48% e Deutsche Bank avançou 1,35%, mas Schaeffler registrou baixa de 6,23%.

Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 teve queda de 0,16%, a 5.288,81 pontos. Crédit Agricole recuou 0,58% e Orange caiu 0,75%, entre os papéis mais negociados, e Total subiu 0,33%.

O índice FTSE-MIB, da bolsa de Milão, registrou ganho de 0,65%, a 20.851,56 pontos. Telecom Italia se destacou, em alta de 2,69%, enquanto a petroleira Eni avançou 0,63%. O grupo bancário UBI Banca fechou na maior alta do dia, de 4,27%.

Em Madri, o índice IBEX-35 subiu 0,42%, a 9.296,70 pontos. Os bancos espanhóis lideraram as altas do dia: Santander subiu 1,66%, Banco de Sabadell ganhou 1,39% e BBVA, 1,22%.

Na bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 teve ganho de 0,39%, a 5.297,53 pontos, o patamar mais alto desde outubro do ano passado. Quem capitaneou a alta do dia foram o banco BCP, que avançou 1,19%, e a petrolífera Galp Energia, que subiu 0,95%. (Com informações da Dow Jones Newswires)



Source link

A lire aussi

Laisser un commentaire