Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em baixa com incertezas sobre Brexit


As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta quarta-feira (13), em meio a incertezas geradas pela decisão do Parlamento britânico de mais uma vez rejeitar os termos de um acordo para que o Reino Unido se retire da União Europeia, num processo conhecido como Brexit.

No Japão, o índice Nikkei caiu 0,99%, a 21.290,24 pontos, pressionado por ações de corretoras e de fabricantes de eletrônicos.

Entre os mercados chineses, o Xangai Composto recuou 1,09%, a 3.026,95 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve queda de 2,32%, a 1.656,54 pontos, depois de ambos acumularem ganhos expressivos nos dois pregões anteriores.

No fim da noite dessa quarta, a China irá divulgar dados sobre produção industrial, vendas no varejo e investimentos em ativos fixos referentes ao primeiro bimestre.

Os últimos números da balança comercial chinesa, revelados na semana passada, vieram muito abaixo do esperado e reforçaram preocupações sobre a tendência de desaceleração da China, que há meses vem tentando negociar um acordo para encerrar sua disputa comercial com os Estados Unidos.

Nessa terça-feira (12), o novo acordo de Brexit apresentado pela primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, foi rejeitado no Parlamento britânico, criando dúvidas sobre se e como o país eventualmente sairá da UE.

Nesta quarta, os parlamentares britânicos irão votar a possibilidade de um Brexit sem acordo. Se esta opção também for rejeitada, eles decidirão amanhã sobre o adiamento da data final – o próximo dia 29 – para a implementação do divórcio do Reino Unido com a UE.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng caiu 0,39% em Hong Kong nesta quarta, a 28.807,45 pontos, e o sul-coreano Kospi recuou 0,41% em Seul, a 2.148,41 pontos, mas o Taiex subiu 0,29% em Taiwan, a 10,373.32, garantindo valorização pela terceira sessão consecutiva.

Na Oceania, a bolsa de Sydney seguiu o tom negativo das asiáticas e o S&P/ASX 200 teve baixa de 0,22%, a 6.161,20 pontos. Foi a quarta perda seguida do índice australiano, sequência mais longa desde o fim de dezembro. 



Source link

A lire aussi

Laisser un commentaire