Região Sul é estratégica no nicho corporativo


A Região Sul do Brasil se tornou um polo estratégico para serviços turísticos destinados ao segmento corporativo. Conforme o diretor de Relacionamento e Novos Negócios da Maringá Turismo, Demetrius Miguel, a empresa especializada em entregar soluções para gestão de viagens institucionais e de negócios pretende ampliar sua atuação no mercado gaúcho no decorrer de 2019. Com essa intenção, no início de fevereiro, Miguel viajou pelo interior do Rio Grande do Sul, visitando companhias de grande porte e prospectando um aumento na cartela de clientes da Maringá Turismo.

A meta da empresa é acompanhar o desempenho do Grupo Arbaitman (formado também pela Central de Eventos e a empresa de tecnologia Lemontech) e crescer 18% até dezembro deste ano. No que se refere à unidade que a Maringá Turismo mantém na capital gaúcha, a expectativa é maior, com previsão de que o aumento em vendas supere em 30% os resultados de 2018. « A Região Sul ocupa posição importante nos planos da empresa, para atendermos à crescente demanda e realizarmos um trabalho personalizado », observa o diretor de Relacionamento e Novos Negócios da Maringá. Ele emenda que uma das apostas do grupo para os próximos meses é a comercialização de uma nova ferramenta, pensada com o objetivo de ampliar a eficiência em gestão de despesas de viagens.

Jornal do Comércio – O senhor cumpriu uma agenda que incluiu visitas nas principais empresas do interior do Estado. Qual é o objetivo dessa ação?

Demetrius Miguel – Toda a Região Sul do País – especialmente o Rio Grande do Sul – é polo estratégico de expansão do Grupo Arbaitman, através da presença da Maringá Turismo, um dos três braços operacionais da companhia, que atua há mais de 50 anos no segmento de viagens corporativas. Essa ação no Interior teve dois objetivos: visitar alguns de nossos mais de 50 clientes localizados no Estado para apresentar uma nova solução da Lemontech, capaz de ampliar a eficiência em gestão de despesas de viagens e, paralelamente, prospectar parcerias divulgando nossos serviços junto a outras empresas gaúchas.

JC – Qual o diferencial dos produtos e serviços da Maringá Turismo e quais facilidades a empresa oferece ao segmento corporativo?

Miguel – A Maringá oferece gestão em viagens corporativas, logística de eventos corporativos e de eventos de incentivo (premiações que empresas realizam entre seus colaboradores). O nosso diferencial é que temos uma tecnologia de ponta (desenvolvida pela Lemontech), que reduz custos e tempo das empresas, oportunizando maior controle na administração do orçamento de viagens institucionais e de negócios. Nossas ferramentas também aprimoram a política e servem de interlocução durante a negociação com as companhias aéreas, hotéis e locadoras de veículos. Temos um sistema de análise de indicadores que mostram a região onde o cliente mais realiza viagens e detecta quem oferece melhores condições. A partir daí, com o objetivo de reduzir custos e aumentar o nível de controle da gestão financeira dentro das corporações, buscamos a negociação junto ao fornecedor, uma vez que nossa estratégia passa também por concentrar um maior número de viagens realizadas por determinada empresa com um mesmo fornecedor para aumentar o desconto. Mas é importante salientar que o principal objetivo das nossas soluções em gestão é manter os funcionários de nossos clientes despreocupados com suas viagens. Para dar um exemplo: um executivo pode escanear o recibo de uma conta e ter o reembolso agilizado de forma rápida e eficiente, usando apenas o celular – o que pode ser feito durante a viagem.

JC – E o novo produto que a empresa está lançando complementa esse processo?

Miguel – Sim, com a proposta de ampliar a eficiência em gestão de despesas de viagem, lançamos um módulo de precipitação de contas, que permite que as empresas administrem de forma antecipada todos os custos inerentes à viagem. Isso inclui deslocamentos com táxi até o aeroporto, alimentação, entre outras despesas menores que, em geral, não são computadas. Então essa tecnologia amplia o controle, o que gera informações estatísticas, facilitando o controle das empresas. É um aplicativo que permite que se crie (na falta de um cartão corporativo) um adiantamento de viagens, que passa por todo um processo de aprovação – gerando um valor a pagar, que vai para o departamento financeiro, que providencia o depósito do recurso solicitado, e, depois, o funcionário presta contas com nota.

JC – Qual a meta da Maringá Turismo no que se refere ao desempenho dos negócios da companhia neste ano?

Miguel – A Maringá quer crescer 18%, no mesmo patamar do Grupo Arbaitman, que, com as três empresas juntas, deve faturar R$ 1,26 bilhão neste ano. Mas, para você ter uma ideia do que o escritório da Maringá Turismo em Porto Alegre representa, em termos de expectativas, somente nessa unidade, prevemos um aumento de 30% das vendas frente a 2018. Isso porque o Rio Grande do Sul possui muitas indústrias com potencial enorme – e, nos últimos três anos, o nível de satisfação dos clientes da filial gaúcha foi um dos mais altos. Temos uma mão de obra de qualidade no Estado, a ponto de clientes de São Paulo serem atendidos na filial de Porto Alegre. Essa excelência é um dos grandes pilares da tomada de decisão da empresa no sentido de investir em equipe e na expansão dessa unidade. A meta é saltar dos atuais 25 colaboradores para até 45.

JC – Quais aspectos econômicos foram considerados antes de optar por essa expansão?

Miguel – Estamos muito baseados na retomada da economia brasileira. Sabemos que muitas empresas irão abrir mercado de concorrência, e a Maringá Turismo já ganhou muitos processos do gênero. Entendemos que temos posicionamento estratégico e oferta diferenciada – além disso, já obtivemos muitos resultados expressivos em outros ciclos contratuais, o que nos deixa ainda mais otimistas.

 



Source link

A lire aussi

Laisser un commentaire