Bolsa de Tóquio lidera recuperação na Ásia, mas chinesas ampliam perdas


As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta terça-feira (26), com parte delas se recuperando de perdas causadas por temores com a tendência de desaceleração da economia global.

O mercado japonês liderou os ganhos nesta terça, com alta de 2,15% do índice Nikkei, a 21.428,39 pontos, que reverteu a maior parte da queda de 3,01% do pregão anterior. Destacaram-se em Tóquio a Nintendo (+4,8%), que pretende lançar novas versões de seu console Switch em meados do ano, segundo matéria do Wall Street Journal, e ações ligadas aos setores farmacêutico e de transporte terrestre, com ganhos de mais de 3%.

O dia foi de valorização também em Hong Kong, onde o Hang Seng subiu 0,15%, a 28.566,91 pontos, em Taiwan, à medida que o Taiex avançou 0,76%, a 10.559,20 pontos, e em Seul, com ganho de 0,18% do sul-coreano Kospi, a 2.148,80 pontos, apesar de um alerta negativo de lucro ter prejudicado a blue chip local Samsung Electronics (-0,55%).

O clima na Ásia, porém, ainda é de cautela após novos sinais de deterioração na perspectiva econômica mundial. Nessa sexta-feira (22), o rendimento da T-bill de três meses superou o da T-note de 10 anos, invertendo a curva de juros dos Treasuries e sinalizando maior probabilidade de os Estados Unidos entrarem em recessão. Além disso, indicadores fracos sobre atividade manufatureira na zona do euro, EUA e Japão, divulgados no mesmo dia, contribuíram para assustar os investidores.

Na China, os mercados ampliaram hoje as expressivas perdas da sessão anterior, também à espera de uma nova rodada de discussões comerciais entre funcionários de alto escalão dos governos chinês e dos EUA, em Pequim, a partir desta quinta-feira (28). O Xangai Composto caiu 1,51%, a 2.997,10 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 2,18%, a 1.639,94 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana foi favorecida pelo bom desempenho de mineradoras e o índice S&P/ASX 200 garantiu ligeira alta de 0,07% em Sydney, a 6.130,60 pontos. 



Source link

A lire aussi

Laisser un commentaire