Bolsas de NY fecham em forte alta com chances de corte de juros nos EUA


Os mercados acionários americanos encerraram a sessão desta terça-feira, 4, com ganhos expressivos, apoiados pela possibilidade de redução nas taxas de juros nos Estados Unidos diante de sinais pontuais emitidos por dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Papéis de gigantes de tecnologia mostraram forte recuperação após o sell-off visto na segunda-feira, ao mesmo tempo em que ações de grandes bancos também foram procuradas pelos agentes e deram apoio aos indicadores de ações nova-iorquinos.

Na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), o índice Dow Jones recuperou a marca dos 25 mil pontos ao subir 2,06%, para 25.332,18 pontos, ao mesmo tempo em que o S&P 500 avançou 2,14%, para 2.803,27 pontos. Já o Nasdaq eletrônico apresentou alta de 2,65%, para 7.527,12 pontos.

Depois de pregões marcados pela preocupação dos investidores com tarifas mais altas e com a desaceleração do crescimento econômico, o Fed se viu no centro das atenções dos investidores após os rendimentos dos títulos públicos americanos despencarem e precipitarem um pedido dos mercados por cortes nas taxas de juros pelo Fed. De acordo com os contratos futuros dos Fed funds, compilados pelo CME Group, as apostas de que o banco central americano efetuará ao menos uma redução de 25 pontos-base nos juros atingiram 96,7%, após comentários feitos pelo presidente do Fed, Jerome Powell.

Em evento da distrital de Chicago da autoridade monetária, Powell retirou a paciência de seu discurso e enfatizou que o Fed agirá « apropriadamente » para sustentar a expansão econômica nos EUA. « Os mercados condicionaram, nos últimos dez anos, que o Fed se tornou o seu melhor amigo para sempre, e, se eles não veem o Fed reagindo rapidamente, forçam a mão do banco central. Precisamos que o Fed lidere os mercados, e não que ele siga as vontades dos investidores », avalia o chefe da assessoria econômica da Allianz e ex-CEO da Pimco, Mohamed El-Erian.

Os sinais de Powell, embora ainda muito pontuais, se somaram ao alerta feito na segunda-feira pelo presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, quando disse que uma redução nos juros « pode ser justificada em breve ». Assim, a possibilidade de redução dos juros em solo americano se fez mais forte para os investidores. « Se há evidências no lado do crescimento de que há uma atividade econômica sufocada por causa da incerteza, acho que haverá uma reação », apontou a estrategista-chefe da BNY Mellon Investment Management, Alicia Levine.

Apesar da possibilidade de corte nas taxas, papéis de bancos apresentaram ganhos robustos e ajudaram a impulsionar os principais índices acionários americanos. Enquanto o Goldman Sachs subiu 3,65%, o Citigroup apresentou alta de 5,22% e o Bank of America teve ganho de 4,65%. O avanço nos mercados, porém, foi liderado por papéis de tecnologia. As ações da Apple tiveram valorização de 3,68% um dia depois de a companhia revelar novidades no sistema operacional de seus produtos, um novo Mac e o fim do iTunes. Outras giant techs afetadas pela possibilidade de investigações pelo Executivo e pelo Legislativo dos EUA também se recuperaram – casos da Amazon (+2,18%), Alphabet (+1,52%) e Facebook (+2,04%).



Source link

A lire aussi

Laisser un commentaire