Bolsas asiáticas fecham majoritariamente em baixa com tensões no Oriente Médio


As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta segunda-feira, reagindo aos desdobramentos da escalada nas tensões do Oriente Médio desde que os EUA mataram um líder militar iraniano durante ataque aéreo no Iraque no fim da semana passada.

Em seu primeiro pregão em 2020, após os feriados de fim de ano, o índice acionário japonês Nikkei caiu 1,91% em Tóquio, a 23.204,86 pontos, pressionado em especial por ações do setor financeiro.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng recuou 0,79% em Hong Kong, a 28.226,19 pontos, o sul-coreano Kospi teve queda de 0,98% em Seul, a 2.155,07 pontos, e o Taiex sofreu baixa de 1,30% em Taiex, a 11.953,36 pontos.

Investidores da região asiática mantêm foco no Oriente Médio desde que um ataque aéreo americano na capital iraquiana, Bagdá, matou o principal comandante militar do Irã, o general Qassim Suleimani, na última sexta-feira (3).


Nos negócios da China continental, o Xangai Composto ficou praticamente estável nesta segunda, com perda marginal de 0,01%, a 3.083,41 pontos, mas o menos abrangente Shenzhen Composto subiu 0,44%, a 1.768,68 pontos.

Embora os eventos no Oriente Médio tenham prejudicado o apetite por risco, o forte salto nas cotações internacionais do petróleo favoreceu as ações de petrolíferas nos mercados chineses e na Bolsa da Austrália, a principal da Oceania. Em Hong Kong, os papéis da CNOOC subiram 3,6% hoje. Em Xangai, PetroChina e Sinopec tiveram altas de 4,7% e 1,7%, respectivamente.

Em Sydney, o índice australiano S&P/ASX 200 teve ligeiro ganho de 0,03%, a 6.735,70 pontos, graças ao bom desempenho de petrolíferas locais como Woodside (+1,7%), Santos (+2,1%) e Oil Search (+2,4%). Com informações da Dow Jones Newswires.





Source link

A lire aussi

Laisser un commentaire