Acusada de assassinato, primeira-dama de Lesoto deixa a prisão – Notícias


Maesaiah compareceu hoje ao tribunal de seu país após retornar ontem a Lesoto e se entregar à polícia, semanas após ter fugido para a África do Sul

Primeira-dama acusada de assassinato



O Tribunal Superior de Maseru, capital do Lesoto, libertou nesta quarta-feira (5), sob fiança, a primeira-dama do país Maesaiah Thabane. Ela é acusada de orquestrar o assassinato da ex-esposa de seu marido, o primeiro-ministro Thomas Thabane.


Maesaiah compareceu hoje ao tribunal de seu país, após retornar ontem a Lesoto e se entregar à polícia, semanas após ter fugido para a vizinha África do Sul com o objetivo de evitar um mandado de prisão.


Leia mais: A primeira-dama acusada de mandar matar a ex-mulher do marido primeiro-ministro


Segundo os promotores responsáveis pelo caso, Maesaiah teria sido a mandante do assassinato de Lipolelo, morta a tiros em 2017, dois dias antes de Thomas Thabane tomar posse como primeiro-ministro pela segunda vez.


O próprio primeiro-ministro, de 80 anos, foi interrogado no último dia 22 de janeiro em sua residência, também como suspeito de um caso polêmico que desencadeou uma grave crise política nesta pequena monarquia do sul da África.


Mas Thomas Thabane está perto de deixar o cargo, pois segundo seu próprio partido – o Congresso All Basoto (ABC) – ele renunciaria no mês passado, algo que ainda não aconteceu. Esta situação ameaça desencadear uma nova onda de instabilidade política neste pequeno reino montanhoso geograficamente localizado no meio da África do Sul.


A monarquia constitucional do Lesoto, atualmente liderada pelo rei Letsie III, que não tem poder executivo, sofreu numerosos golpes desde que o país conquistou a independência do Reino Unido, em 1966.



Read more

A lire aussi

Laisser un commentaire