Governo espera mínimo de três concorrentes por estatal


« Quanto mais, melhor » é o lema seguido pelo governo gaúcho sobre à perspectiva de concorrentes no processo de privatização das suas estatais. Conforme o secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Júnior, Sulgás e o Grupo CEEE deverão atrair uma quantidade semelhante de interessados e a expectativa é de que, no mínimo, três ou quatro empreendedores participem de cada disputa. « Mas, trabalhamos para conseguir um número maior », salienta.

Um acordo de cooperação entre governo do Estado e BNDES foi firmado no ano passado para auxiliar no processo de privatização das empresas. O resultado dessa parceria foi a contratação do Consórcio Pampagás (formado por BR Partners – banco coordenador do consórcio, Lefosse Advogados – firma especializada em operações complexas, VG&P – grupo focado em direito público e LMDM – consultoria da área de gás e energia) que vai auxiliar nos trâmites da venda da Sulgás. Nessa segunda-feira, os envolvidos nesse empreendimento (técnicos, integrantes da estatal e do governo gaúcho) tiveram uma reunião, no Centro Administrativo do Estado, que foi considerada o « pontapé inicial » das ações a serem tomadas. O encontro serviu para detalhar a forma de atuação desses consultores e, em contrapartida, a distribuidora de gás natural apresentou números e projeções da companhia.

A partir desse contato, será estabelecido um cronograma de trabalho e a projeção é que a disputa pela privatização da Sulgás ocorra no começo de 2021. Antes disso, em meados de setembro ou outubro, deverá acontecer a venda do Grupo CEEE. Lemos recorda que ainda não foi batido o martelo se essa companhia será alienada separadamente (dividindo o segmento de geração e transmissão do de distribuição) ou em conjunto, porém a tendência atual é que a venda seja fracionada. O secretário acrescenta que não está sendo trabalhado um cronograma para a privatização da Companhia Riograndense de Mineração (CRM), mas o BNDES irá fazer uma avaliação sobre o mercado carbonífero no qual a empresa atua.

Entre os serviços que serão prestados pelos consultores estão relatórios sobre questões técnicas, financeiras e jurídicas. Lemos evita falar em valores possíveis com as alienações das empresas, pois, segundo dado de uma consultoria que acompanha o processo de privatização do grupo CEEE, cada novo interessado na disputa, pode elevar em 5% o preço final da companhia.

Apesar do encontro no Centro Administrativo nessa segunda-feira ter sido fechado, o secretário adianta que futuramente será realizada uma audiência pública para apresentar as informações e os números envolvidos no procedimento de privatização. Ainda não está confirmado se haverá uma ou mais audiências relativas à cada estatal, mas a previsão é que o encontro relativo ao Grupo CEEE ocorra entre abril e maio e o da Sulgás no segundo semestre deste ano. A partir de agora, Lemos comenta que será mantido um fluxo de troca de informações e de dados e, provavelmente, a próxima reunião acontecerá em um ou dois meses.




Associao de funcionrios espera reverso da venda

Sandra refora que a Sulgs tem papel estratgico no desenvolvimento



/ASSULGS/DIVULGAO/JC




A secretria-geral da Associao dos Empregados da Companhia de Gs do Estado do Rio Grande do Sul (Assulgs), Sandra Paravisi, ressalta que no perdeu a esperana que a privatizao da Sulgs possa ser revertida, porm admite que no se trata de algo fcil. A principal aposta da dirigente est concentrada em uma ao direta de inconstitucionalidade, proposta pelas direes nacionais do PSOL, do PT e do PCdoB ao Supremo Tribunal Federal (STF), que solicita a anulao da emenda constitucional que retirou a obrigatoriedade de plebiscito para a venda da distribuidora, assim como da CEEE e da CRM.

Sandra argumenta que, alm do interesse dos funcionrios, importante para a sociedade manter a empresa como pblica por se tratar de uma companhia estratgica para o desenvolvimento do Estado. Ela cita o exemplo do uso do biometano (desenvolvido a partir de materiais orgnicos, como dejetos sunos), que uma soluo ecologicamente correta e que poderia ser descartada por um grupo que s visasse ao lucro puramente.

A integrante da Assulgs frisa a que a empresa saudvel financeiramente. Ela recorda que em 2018 o lucro da estatal foi de R$ 73 milhes e em maro deve ser publicado o balano relativo ao ano passado, que deve superar o resultado anterior. Sandra acrescenta que a Sulgs j atende a 42 municpios e segue crescendo (as prximas ampliaes devero abranger Gramado, Canela e regio). De acordo com a dirigente, a companhia a terceira no Pas em nmero de municpios abrangidos e a quarta em execuo de redes de gasodutos. A estatal conta com aproximadamente 120 funcionrios





Source link

A lire aussi

Laisser un commentaire