Brasileiro é resgatado de ‘cenário de filme’ no Alasca – Notícias



Gabriel Dias, brasileiro que cruzou as Américas de carona para chegar até o Alasca, teve de ser resgatado pela polícia após adicionar mais um capítulo à sua aventura, ao visitar o ônibus onde viveu o aventureiro Christopher McCandless, autor do livro ‘Na Natureza Selvagem’, que virou um filme homônimo.


Dias acabou surpreendido pela mesma situação de McCandless. Ele atravessou um rio congelado e, ao tentar retornar porque estava sem comida, viu que o gelo havia derretido e não seria mais possível fazer a travessia de volta.


McCandless acabou morrendo de fome no ônibus, que com a fama alcançada pelo livro e pelo filme, acabou virando ponto turístico nos arredores selvagens da cidade de Healy, no Alasca. Já Dias contou com a sorte de ele e também a polícia local estarem mais preparados para esta situação.



Pouca comida e pegadas de urso




« Quando caminhei mato a dentro, o rio estava congelado e era possível atravessar com segurança. Quando voltei, estava perigoso atravessar e eu não quis arriscar e acionei o SOS via satélite », contou Dias ao R7.


O brasileiro desistiu de tentar caminhar pela beira do rio até encontrar uma passagem por considerar muito perigoso.


« Na verdade, eu estava com a intenção de ficar isolado por mais tempo acampando. mas comecei a ver pegadas de urso perto do meu acampamento e calculei mau a quantidade de comida necessária », detalhou o brasileiro.


A decisão foi extremamente acertada. Há relatos de pelo menos duas mortes de turistas que passaram pelas mesma situação de Dias nos últimos anos.


Trocou isolamento no gelo pelo isolamento do coronavírus


A Polícia Estadual do Alasca recebeu o pedido de SOS e resgatou Dias de helicóptero. Ele conta que, por conta da pandemia de covid-19, foi imediatamente equipado com máscara de proteção.


O brasileiro não tinha nenhum problema de saúde, nem precisou ser hospitalizado. Ele agora está em Fairbanks, cidade que fica a 180 quilômetros da pequena vila de Healy.


« Aqui está tudo fechado, mas não tenho como não ficar isolado. Vou pra casa de um amigo que mora nas montanhas e ficar la até as coisas se normalizarem », disse Dias.



Read more

A lire aussi

Laisser un commentaire