Alemanha reabre comércio em meio a temor de novos surtos da covid-19 – Notícias



Uma nova desescalada nas medidas contra a pandemia de coronavírus entrou em vigor nesta segunda-feira (11) na Alemanha, com a reabertura de escolas, lojas, atividades esportivas em grupo, com ritmos regionais diferentes e em meio a temores de que haverá novo aumento nos casos.


Os números mais recentes do Instituto Robert Koch (RKI) mostram alguma preocupação, ao apontar que o fator reprodutivo (R) da doença – que indica quantas pessoas uma pessoa infectada retransmitiu – subiu novamente acima de 1.


No entanto, o porta-voz do Ministério da Saúde alemão, Hanno Kautz, disse que o aumento do R, para o qual podem existir várias causas estatísticas, não significa que a situação tenha saído do controle.


« O R é uma das várias figuras para avaliar a pandemia. É verdade que o R voltou a subir, mas não se pode concluir que estamos novamente em uma situação descontrolada », disse Kautz.


De qualquer forma, o aumento do valor R, de acordo com Kautz, não pode ser atribuído de forma alguma à atual desescalada, uma vez que só entrou em vigor hoje.


« O fator R havia aumentado antes », enfatizou.


Todos os comércios abertos


Na maioria dos estados federados, anteriormente só era permitido abrir lojas com menos de 800 metros quadrados, algo que tinha sido contestado por alguns tribunais.



Agora essa limitação de superfície não existe mais e todas as lojas podem abrir, embora com limitações quanto ao número de clientes que estejam dentro dela ao mesmo tempo.


Além disso, nas lojas, os clientes devem usar máscaras de proteção e tentar, na medida do possível, respeitar a regra básica de manter uma distância de 1,5 metro com outras pessoas.


Na vida social em geral, alguma flexibilidade entra em vigor hoje, como, por exemplo, a reunião de membros de duas famílias, dentro ou fora de casa, agora é permitida.


Solários, estúdios de tatuagem e tratamentos cosméticos podem reabrir suas portas, assim como campos de golfes e quadras de tênis podem ser reutilizados.


Nas escolas, a abertura permanece de forma mais lenta. Os alunos assistem às aulas por turnos, para que, em alguns dias da semana, fiquem em casa e os colégios continuem abertos por etapas, com diferenças entre um estado para outro.


Em alguns estados federados da Alemanha, o turismo será novamente possível e os museus poderão ser abertos ao público, mas com restrições.


Rede de segurança


A nova desaceleração – acordada entre os ministros estaduais federados e a chanceler Angela Merkel – tem um tipo de rede de segurança que já precisou ser utilizada, mesmo antes da flexibilização entrar em vigor.


A rede de segurança prevê que, se em um município as novas infecções para cada 100 mil habitantes estiverem acima de 50 por semana, as autoridades regionais e municipais devem tomar medidas para reverter a situação. Isso já aconteceu em quatro municípios de diferentes regiões do país. O principal foi em Coesfeld (oeste do país), onde o aumento ocorreu devido a um surto em um abrigo de trabalhadores de matadouros.


Em outros municípios, como Greiz (leste do país), o alto número de infecções está relacionado com surtos em casas de repouso.


« À medida que a estratégia de teste mudou e sob certas circunstâncias, elas são feitas em todos os que vivem em um abrigo ou em uma determinada residência, surgem então outros números », acrescentou.


As medidas para lidar com esses surtos serão pontuais e diferenciadas e, pelo menos por enquanto, não há dúvidas quanto a flexibilização a nível federal em que estão previstas para as próximas semanas.


A Alemanha registrou, desde o início da pandemia, 172.658 casos do novo coronavírus; 142.686 pacientes superaram a doença e 7.681 morreram.


Em nenhum momento durante a pandemia houve confinamento absoluto no país. Assim, por exemplo, o esporte individual sempre foi permitido, da mesma forma que a caminhada, mantendo as regras de redução de contato e evitando a formação de grandes grupos.



Read more

A lire aussi

Laisser un commentaire