Ataque após mês de calmaria deixa 9 mortos na Síria – Notícias





Pelo menos nove pessoas foram mortas nesta quinta-feira (4) em um ataque que a Síria atribuiu a Israel, contra uma de suas posições militares na província central de Hama, lançado do território libanês. Essa é a primeira agressão registrada após o intervalo de um mês.


« Às 21h25 (local, 16h25 de Brasília) de 4 de junho de 2020, aviões israelenses sobrevoaram o espaço aéreo libanês visando uma de nossas posições militares na periferia de Mayaf, no Hama ocidental », informou a agência de notícias oficial síria, « Sana ».


Uma fonte não identificada do corpo militar disse à « Sana » que as defesas aéreas do Exército responderam imediatamente aos mísseis e derrubaram um número indeterminado deles.





Por sua vez, o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), uma ONG sediada no Reino Unido, mas com uma ampla rede de parceiros em território sírio, afirmou que os alvos da aviação israelense eram lojas de defesa localizadas em Maysaf.


De acordo com o Observatório, pelo menos nove pessoas foram mortas no ataque, quatro delas sírias, embora não se saiba se faziam parte das tropas do país árabe.


Enquanto isso, a Agência Nacional de Notícias do Líbano (ANN) divulgou que a aviação israelense sobrevoou as cidades de Jbeil, Keserwan e Metn, no centro do país. Até o momento, Israel ainda não confirmou a operação.





O ataque é o primeiro a ocorrer após Damasco acusar Israel, no final de abril, de atacar suas posições em até quatro ocasiões ao longo de 15 dias. Além disso, é a primeira incursão após a visita do Secretário de Estado americano, Mike Pompeo, ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, em 13 de maio, quando foi discutida a influência do Irã na Síria.


Nesse dia, o enviado especial dos EUA para a Síria e a coalizão anti-jihadista, James Jeffrey, disse que o Irã estava interrompendo algumas de suas atividades em território sírio por causa de problemas econômicos.


Conflitos e tensões raciais fazem parte da história dos EUA






Read more

A lire aussi

Laisser un commentaire