Bancos gaúchos renegociam empréstimos na pandemia


Os bancos, em geral, estão intensificando as renegociações de dívidas e aumentando a carência no vencimento de parcelas em várias linhas, como crédito pessoal, imobiliário e para aquisição de veículos e capital de giro. Além de tentar manter a já combalida economia brasileira funcionando, o movimento é inevitável tendo em vista a massa de pessoas com grandes dificuldades financeiras devido à pandemia. 

O Banrisul passou a oferecer a prorrogação de crédito imobiliário por seis meses para pessoas físicas e jurídicas a partir de 16 de junho. As parcelas a vencer dos próximos 180 dias (seis meses), de contratos de crédito imobiliário de clientes pessoa física ativos e adimplentes podem ser prorrogadas.

O banco gaúcho já realizou, de 16 de março a 5 de junho, a prorrogação de cerca de 205 mil operações para clientes pessoa física e jurídica, no valor total de R$ 591 milhões em parcelas suspensas no período, as quais tiveram seus fluxos de vencimentos readequados. O banco tomou a decisão, ainda, de não negativar clientes, nem protestar títulos nesse período da pandemia.

De acordo com a assessoria de imprensa, o Banrisul vem anunciando diversas medidas de apoio aos clientes, oferecendo alternativas que minimizem os impactos da crise desencadeada pela Covid-19. « Entre essas iniciativas, destaca-se o desenvolvimento de produtos destinados ao reparcelamento dos compromissos de curto prazo dos clientes pessoa física e jurídica de todos os portes e segmentos, adicionando carência para reiniciar os pagamentos » – ou seja, adiar o pagamento das parcelas sem prejuízo ao cliente.

Podem ser renegociadas as linhas de crédito geral, incluindo o financiamento imobiliário, do agronegócio, desenvolvimento e crédito consignado e contas com limites. O banco garante que é possível fazer a adesão de forma exclusivamente digital. Porém, quando necessário, é possível comparecer à agência bancária. Mas antes é preciso agendar dia e horário pelo aplicativo ou pelo site do banco.

O Sicredi afirma que está tentando atender às necessidades dos associados. « Seguimos à disposição para analisar todas as demandas de prorrogação do vencimento de dívidas de nossos associados neste momento de redução e reorganização das atividades econômicas », afirma. O site da instituição tem uma aba específica para negociação de débitos – Negocie Aqui. Porém, não há um procedimento padrão para o alargamento de prazos, abatimento de encargos ou suspensão da negativação de devedores.

O Sicredi informou, por meio da assessoria, que os casos são analisados individualmente « visando encontrar a melhor alternativa para cada associado, pois as cooperativas atuam em diferentes regiões, que possuem características próprias ». Por esse mesmo motivo não há um levantamento do número de contratos já renegociados nas 110 cooperativas do Sicredi.

De acordo com a Febraban, as concessões de crédito, para o período de 16 de março a 8 de maio de 2020, somam R$ 540,3 bilhões. Eles incluem contratações, renovações e suspensão de parcelas.

O setor bancário já renegociou 8,5 milhões de contratos com operações em dia, que têm um saldo devedor total de R$ 468,2 bilhões. A soma das parcelas suspensas dessas operações repactuadas totaliza R$ 47,5 bilhões. Segundo a federação, « esses valores trazem alívio financeiro imediato para empresas e consumidores, que passaram a ter uma carência entre 60 a 180 dias para pagar suas prestações, sendo que a maioria dos agentes beneficiados com prorrogação de parcelas é representada por pequenas empresas e pessoas físicas (R$ 26,4 bilhões) ».

 







Educador financeiro recomenda negociao consciente



preciso acordo condizente com a realidade do devedor, afirma Lopes
/FREDY VIEIRA/JC


Quando no est sendo possvel honrar o pagamento de emprstimos e financiamentos pode parecer que qualquer negociao ser melhor do que continuar devendo. Mas o economista e educador financeiro Everton Lopes ressalta que preciso fazer um acordo condizente com a realidade financeira do devedor.

De maneira geral, o ideal parcelar no menor nmero de vezes possvel, mas o mais importante que o valor da parcela precisa caber no seu bolso. Caso contrrio, o que parecia uma sada se torna mais uma armadilha.

O tipo de negociao vai variar de acordo com a situao financeira de cada pessoa e com o tipo de endividamento que ela possui. Para algumas pessoas talvez este no seja o momento ideal para a renegociao.

o caso de pessoas com dvidas muito altas (os chamados superendividados) ou que tenham dbitos com carto de crdito e cheque especial (em que a cobrana de juros enorme). Aqui talvez caiba esperar um pouco mais para que a situao financeira da pessoa melhore, para que haja maior segurana financeira e para que seja possvel honrar de verdade o acordo, indica Lopes.

O educador financeiro lembra que os bancos continuam podendo negativar os clientes inadimplentes, mas salienta que isso no pode mais acontecer depois de s 10 dias de atraso. Durante a pandemia, o atraso deve ultrapassar 45 dias para que o nome fique sujo. « Um projeto de lei (PL 675/2020) que impede a incluso de cliente devedor lista de negativados enquanto durar o perodo de calamidade foi aprovado no Senado Federal », lembra o educador financeiro, com a expectativa de que a lei seja sancionada em breve.

Lopes lembra que muitas pessoas esto tendo dificuldades em pagar ou negociar seus contratos de emprstimos devido pandemia, perda de renda temporria e at mesmo devido ao desemprego. « A prioridade nos gastos familiares deve ser a compra de bens e servios essenciais e os compromissos financeiros ficam em segundo plano », diz Lopes.





Source link

A lire aussi

Laisser un commentaire