Bangladesh descobre novo hospital emitindo testes falsos de covid-19 – Notícias





As autoridades de Bangladesh informaram nesta segunda-feira (20) que um hospital privado em Daca está fornecendo certificados falsos de teste para coronavírus, um anúncio que surge em meio à crescente desconfiança no país após o fechamento neste mês de duas outras clínicas que também realizavam esses testes falsos.


Uma equipe da unidade policial de elite, o Batalhão de Ação Rápida (RAB), invadiu o Hospital Universitário Médico Shahabuddin, na área de Gulshan, em Daca, ontem à noite, após descobrir que estava emitindo relatórios falsos dos testes de covid-19, e prendeu duas pessoas envolvidas no caso.


« Eles cometeram várias irregularidades. Eles começaram a testar para o coronavírus em abril antes de obterem autorização do governo. Eles fizeram utilizando kits chineses, que não foram aprovados pela Organização Mundial da Saúde ou pelo governo », disse à Agência Efe, o chefe da RAB, Sarwoer Alam, que comandou a operação.



Série de irregularidades






Embora algum tempo depois o centro médico tenha obtido a autorização para colher as amostras e fazer as análises por meio de instituições de saúde pública, eles fizeram apenas alguns testes e apresentaram relatórios falsos de muitos outros que não foram analisados.


Além disso, « eles realizaram testes de anticorpos, apesar do governo não ter autorizado ninguém a realizar esses testes », disse o chefe de polícia.


O hospital, que vinha cometendo uma série de irregularidades, como manter um paciente negativo junto com pacientes positivos para covid-19 e que também usava equipamento cirúrgico vencido, apresentou, por exemplo, « um relatório positivo de coronavírus a um paciente russo que apresentou resultado negativo em outro hospital no dia seguinte », explicou.



Outros hospitais falsificaram testes



Este é o segundo hospital envolvido na falsificação dos testes para coronavírus, depois que as autoridades fecharam duas clínicas do Regent Hospital, nos dias 7 e 8 deste mês.


As clínicas haviam realizado 4.264 amostras analisadas adequadamente e 6 mil relatórios falsos e, em seguida, o centro decidiu aleatoriamente quais as pessoas estavam infectadas com coronavírus.


O presidente do Grupo Regent, Mohammad Shahed, foi preso na última quarta-feira enquanto tentava fugir para a Índia.


Até o momento, Bangladesh detectou mais de 200 mil e 2.618 mortes por covid-19.


No final de março, o país asiático impôs um confinamento rigoroso para impedir a propagação do vírus, embora as restrições tenham sido suspensas em 31 de maio para revitalizar a economia, exceto nas áreas mais afetadas.



Read more

A lire aussi

Laisser un commentaire