Biden defende democracia e contagem de todos os votos – Notícias


Em tom conciliador, candidato à presidência dos EUA pede
calma à população ao citar lentidão na apuração em alguns estados






Joe Biden, candidato à presidência dos Estados Unidos, fez um discurso na madrugadadeste sábado (7) em tom conciliador para defender a democracia e a contagem detodos os votos. A mensagem foi transmitida do comitê de campanha democrata na cidade de Wilmington, no estado de Delaware.


Sem citar o adversário Donald Trump, o ex-vice-presidente dos EUA ressaltou o recorde histórico do número de votos dacorrida eleitoral de 2020 e pediu calma aos eleitores ao citar a lentidão das contagens em alguns estados, como a Pensilvânia.


Biden festejou a crescente diferença de votos sobre o presidente Donald Trump, sobretudo a virada ocorrida na Pensilvânia, estado que pode selar a vitória do ex-vice-presidente na corrida eleitoral.


« Fica cada vez mais clara a nossa vitória e a mudançaescolhida pelo povo norte-americano frente às conduções da pandemia decoronavírus, da crise econômica pela qual o país atravessa e da política ambiental », disse o democrata.


Pandemia nos Estados Unidos

O crescimento rápido do número de novos casos de covid-19 e de mortes causadas pela doença foram destacadas por Biden em seu discurso. Os EUA somam mais de 240 mil óbitos e contabilizaram 121 mil notificações de infectados apenas nas últimas 24 horas, recorde mundial de infecções diárias.


« Sinto como se tivesse perdido alguém querido. Nossos corações estão com vocês », lamentou Biden ao falar com as famílias afetadas pelo coronavírus. Ele ressaltou o aumento rápido do número de vítimas fatais registradas no país. « Não podemos perder mais pessoas, outras mortes não podem ser toleradas », disse.

Biden também reforçou promessas de campanha. « Já no primeiro dia de mandato iremos cuidar dos Estados Unidos em meio à atual crise econômica e à pandemia de coronavírus », afirmou o candidato democrata.

Joe Biden adotou tom apaziguador ao final de seudiscurso ao citar polêmicas e polarização ao longo do processo eleitoral. « É importante ressaltar que somos oponentes e não inimigos. Vamos pôr o ódio e a demonização mutua para trás e olhar para frente, para o futuro do país. Esse é o trabalho do presidente e é o dever do presidente », enfatizou ele.


Por fim, o democrata se despediu e ressaltou a mensagem de otimismo: « Não há nada que não possamos fazer. »



Read more

A lire aussi

Laisser un commentaire