Biden não herdará seguidores de Trump no Twitter quando assumir a presidência; entenda a mudança – Notícias



O Twitter confirmou que as contas oficiais da Presidência da República dos EUA vão perder seus milhões de seguidores antes de serem transferidas para o governo de Joe Biden, eleito neste ano o novo presidente do país.


A equipe de Biden havia questionado o plano da rede social, mas a empresa afirmou que sua decisão é « inconstestável ».


A determinação é uma mudança em relação à última transição presidencial no país, em 2016, quando o Twitter concordou com o pedido de Donald Trump para que ele « herdasse » os seguidores de Barack Obama.


« Em 2016, o governo Trump absorveu todos os seguidores do presidente Obama no Twitter, nas contas @POTUS (sigla para presidente dos Estados Unidos em inglês) e @WhiteHouse (Casa Branca) », disse no Twitter Rob Flaherty, diretor de redes sociais da equipe de Biden, na segunda.


« Em 2020, o Twitter nos informou que agora o governo Biden vai ter que começar do zero. »


A nova política da empresa também vai afetar a conta oficial da primeira-dama, @FLOTUS.


O Twitter afirmou que as pessoas que seguem as contas presidenciais existentes serão notificados que elas estão sendo arquivadas e serão questionados se querem seguir as novas contas do governo Biden.


A conta pessoal de Joe Biden, que tem 21,7 milhões de seguidores, não será afetada pela transferência de contas.




Engajamento


O presidente Donald Trump é conhecido por usar suas contas no Twitter — tanto a pessoal quanto a oficial da presidência — para gerar engajamento de seus eleitores. Durante seus quatro anos na Casa Branca, ele postou mais de 50 mil mensagens no Twitter.


No entanto, de acordo com o site Factbase, que monitora perfis no Twitter, Trump perdeu mais de 369 mil seguidores em sua conta pessoal desde novembro.


Nesse mesmo período, o presidente eleito Joe Biden ganhou mais de 2,6 milhões de seguidores.


A especialista em marketing digital Rebecca Lodge, da empresa Start Up Disruptors, disse que decisão do Twitter pode ser uma « estratégia inteligente » da rede social.


« Com muitos dos ‘fãs’ de Trump podem ser bem fanáticos, (a decisão) pode ser uma estratégia inteligente do Twitter para garantir que postagens negativas e cheias de ódio sejam ‘neutralizadas’ antes de o presidente eleito assumir seu cargo », afirma Lodge.




Read more

A lire aussi

Laisser un commentaire